terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Para minha mãe
(saudades...sempre...)

DVD Clara Nunes
Após 25 anos da morte de uma das maiores interprétes da história da música brasileira, é lançado uma coletânea de alguns de seus clipes gravados, originalmente, para o programa Fantástico.

(emocionante surpresa, pois a idéia original desta postagem seria deixar um protesto pela falta de um registro em DVD, ainda após 25 anos passados da morte desta importante intérprete, de quem sou fã deste criança)

Clara Francisca Gonçalves Pinheiro, conhecida como Clara Nunes, (nascida em Paraopeba, MG, em 12 de agosto de 1943) foi uma cantora brasileira, considerada uma das maiores intérpretes do país. Pesquisadora da música popular brasileira, de seus ritmos e de seu folclore, Clara também viajou várias vezes para a África, representando o Brasil. Conhecedora das danças e das tradições afro-brasileiras, ela se converteu à Umbanda. Clara Nunes seria uma das cantoras que mais gravaria canções dos compositores da Portela, escola para a qual torcia. Também foi a primeira cantora brasileira a vender mais de 100 mil cópias, derrubando um tabu segundo o qual mulheres não vendiam disco.

Mulher à frente de seu tempo, determinada, corajosa, de personalidade forte, Clara Nunes carregava um ímã no olhar. Transmitia verdade. Sua voz emocionava. Máquina de fazer dinheiro, dava Ibope e fez a mídia e a indústria do disco renderem-se a ela. Morreu em 02 de Abril 1983, depois de 28 dias de agonia, hospitalizada após um choque anafilático ocorrido durante uma cirurgia de varizes.

Em dezembro de 1997, a gravadora EMI reeditou a obra completa da artista, em 16 CDs remasterizados no estúdio de Abbey Road, em Londres, e embalados em capas que reproduzem as originais. Dez anos depois (2007) é lançado o livro "Clara Nunes, a guerreira da utopia", pela editora Ediouro, escrito pelo jornalista Vagner Fernandes. Um livro que mostra a brasileira cantora, mulher e espiritualista, que cantava ponto em terreiro e comungava em igreja católica. E que fez da voz sua poderosa arma de guerra. Neste livro, ainda é possível fazer um passeio pelo contexto hstórico da época (ditadura militar, jovem guarda, bossa-nova, tropicália...), além do contato com algumas revelações conhecidas por poucos até então (histerectomia realizada após a perda de sua 3ª gravidez e a amizade com Elis Regina).

Agora em 2008, enfim, a imagem e o canto luminosos de Clara Nunes (1942 - 1983) já podem ser vistos e ouvidos em DVD. O primeiro DVD da cantora exibe 21 clipes gravados por essa mineira guerreira - entre 1974 e 1983 - para o programa Fantástico, apresentado pela TV Globo nas noites de domingo desde 1973. O período enfocado no DVD coincide com o auge artístico e comercial da cantora, projetada em escala nacional a partir de 1974 com o sucesso Conto de Areia - não por acaso, o primeiro clipe do DVD, no qual Clara Nunes aparece com o visual estilizado de baiana estampado na capa do LP Alvorecer (1974).

Por cerca de dez anos as noites de domingo da TV Glogo ganhavam um colorido todo especial quando Clara Nunes surgia luminosa no Fantástico. Sobretudo na década de 70, período em que as adversicades político-sociais empurravam as emissoras rumo a alternativas para a programação, Clara encabeçava o ranking de artistas na predileção da grande mídia. Era convocada para amenizar a noite e aliviar a dor em uma missão de incomensurável beleza. Em dia e horário nobres das emissoras de TV, Clara ratificava o posto de estrela. E o Brasil se encantava com a voz, os figurinos e as coreografias da cantora que revolucionou o mercado ao derrubar o preconceito contra a estética afro-descendente.

São vídeos produzidos na era pré-MTV e, portanto, pioneiros na formatação de uma linguagem audiovisual até então inexistente na televisão brasileira, que somente ganhou cores a partir de 1972. Em quase todos os vídeos, Clara dubla as gravações do discos - as exceções são os clipes de À Flor da Pele e Oricuri (Segredos do Sertanejo), filmados ao vivo, com banda, em 1977 e em 1980, respectivamente - em estúdios ou em cenários naturais (praias, matas, cachoeiras) que acabam ficando repetitivos quando o espectador assiste na seqüência aos clipes de músicas como O Mar Serenou (1975), Coisa da Antiga (1977), Guerreira (1978), Banho de Manjericão (1979) e Na Linha do Mar (1979). Ainda assim, os 21 clipes conseguem montar belo painel da obra e da evolução de Clara Nunes na sua última década de vida.

É fato que não há na seleção um clipe sequer extraído do repertório do álbum (Canto das Três Raças, 1976) que marcou a transição da cantora rumo a um universo rítmico mais abrangente. Em contrapartida, há o vídeo de 1975 em que, após recordar a importância de Ataulfo Alves (1909 - 1969) no começo de sua carreira, Clara dubla seu primeiro sucesso, Você Passa Eu Acho Graça, parceria de Ataulfo com Carlos Imperial (1935 - 1992).

É curioso notar como num dos últimos clipes gravados por Clara para o Fantástico - o de Nação, filmado em 1982 - já são perceptíveis algumas ousadias estilísticas na direção do vídeo (ligeiramente mutilado no DVD por não exibir os rostos de alguns bailarinos do clipe, certamente suprimidos por questões relativas a direitos de imagem). Mas o que salta na tela, por mais que a estética dos vídeos já tenha adquirido caráter kitsch, é a figura radiante de Clara Nunes. Tanto na abordagem do universo praieiro de Dorival Caymmi (É Doce Morrer no Mar, 1974), como no encontro majestoso com o grupo baiano Filhos de Gandhi (em Ijexá, último clipe de Clara, filmado no início de 1983, pouco antes da morte da cantora), ou ainda no dueto feito em 1979 com Adoniran Barbosa (1910 - 1982) para reviver Abrigo de Vagabundos, paira soberana na tela a imagem luminosa de uma intérprete que marcou época e, por isso mesmo, merecia que essa imagem chegasse ao mundo digital.

Mesmo sem extras, a EMI cogitou incluir entrevista da cantora à jornalista Marília Gabriela, exibida no programa TV Mulher, mas a idéia não foi adiante.

O DVD Clara Nunes tem um lugar de honra na videoteca brasileira.


Veja alguns vídeos do DVD:

http://www.youtube.com/watch?v=u8wBc5YmDPo

http://www.youtube.com/watch?v=b5_oBJ9-z20

http://www.youtube.com/watch?v=vNLJO06eAsU

http://www.youtube.com/watch?v=AXQ7hHnqnSU

http://www.youtube.com/watch?v=wyD5N9BHvQA

http://www.youtube.com/watch?v=ji-_sRKylhA

3 comentários:

Wladimir Dotaf disse...

Muito bom, Clara Nunes, um dos maiores ícones da MPB. Show, gostamos muito. Você sempre com esse seu eterno bom gosto, parabéns pelo Blog, muito legal. Abraços e Feliz 2009. Wladi e Andrea.

Anônimo disse...

Franz Kafka...ñ conheço o trabalho da cantora em questão + pelo texto escrito aqui e pelo simples fato de seu trabalho ter sido remasterizado no Abbey Road já lhe valem um olhar atento., esses dias no programa musical que passa na TV cultura passou uma entrevista sobre lugares importantes da inglaterra entre eles o estúdio Abbey Road meca da inglaterra e de todo som que por lá foi feito e produzido.
Até +

Pitango disse...

Esse deve ser um super dvd, não é?
Bjão
Gus