domingo, 15 de fevereiro de 2009

Museu Oscar Niemeyer
Exposição "OSGEMEOS" - Vertigem
Prorrogada até 01/03/09












Pinturas de tons fortes e coloridos, cenas fantásticas, extraídas de sonhos e da realidade cotidiana, e os recorrentes personagens vermelhos e amarelos, que aparecem em instrumentos e caixas de som, são algumas características marcantes da produção contemporânea dos irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, hoje com 34 anos. Eles formam a dupla OSGEMEOS, que, em maio, pintou a fachada de um castelo na Escócia e teve trabalhos expostos na famosa Tate Modern, de Londres, e na conceituada Deitch Gallery, de Nova York.

Gêmeos idênticos, a maior parte das obras dos irmãos é realizada sem um planejamento prévio. “Normalmente não combinamos, vamos fazendo. A gente ta sempre desenhando em papel. Com o papelzinho na mão, passamos para a tela, para o mural.” Na poética da produção da dupla está o cotidiano simples, o amor, as viagens, as pescarias com o avô, os relacionamentos, as fugas e as contradições “na busca de novos caminhos”. “Fazemos uma crítica social e política. Em outras situações criamos um mundo paralelo, fantástico, lúdico, para poder sobreviver.”

Pela primeira vez em Curitiba, a dupla apresenta nove obras inéditas. São seis grandes painéis, todos com mais de 1,5 metro, duas esculturas e a instalação interativa “Os Músicos”. OSGEMEOS trabalharam nos últimos cinco meses na elaboração das obras.

Um dos grandes destaques é a escultura móvel, ainda sem título, que tem como suporte o chassi de um fusca, com cabeça e mãos. “Quando fazemos uma obra esperamos que ela nos fale o nome”, afirma Gustavo. A cabeça possui movimento mecânico dos olhos e da boca. Após o término da mostra, as mãos também deverão ganhar movimentos de articulação. Futuramente, os artistas pretendem utilizar a escultura em exibições em ruas e praças públicas.



Outro destaque é a instalação “Os Músicos”, composta de 30 caixas de som, megafone, guitarra, baixo, violão e bateria, todos pintados com os personagens vermelhos e amarelos. “Mesmo que não saibam tocar, queremos que as pessoas toquem, se expressem. As caixas devem ser como um porta-voz do visitante.” Para completar a cenografia da mostra, a dupla OSGEMEOS assina a pintura-mural, realizada durante a montagem, na parede externa da sala de exposição.


Ainda, a exposição trás uma caixa de "boca para baixo", pendurada no teto. O que há dentro da caixa??? Uma grande surpresa... O expectador pode entrar por baixo dela e interagir com a abra.

6 comentários:

Anônimo disse...

Franz Kafka...essa é uma exposição que vale á pena ir quem puder ñ perca...eles que habitam o mundo underground do grafite em SP, ao lado de outros artistas e que são referência para tantos aqui e lá fora, tem uma arte bem viva e cheia de detalhes.
De certa maneira seus trabalhos me lembram muito esse universo de sonho com um ar de contestação do real!!!
Até +

Pitango disse...

Fantástica a exposição!
Bjo grande,
Gus
http://www.tchubaduba.blogspot.com/

Anne Elise disse...

Pois, é...Fábio...

Muitas cores, muitos detalhes...quase um sonho...

Fiquei surpresa por esta "1ª" exposição não ter sido em SP.

Beijos...

Anônimo disse...

"Talvez o fato dessa exposição ñ ter sido em SP, se dê pelo fato de que em vários locais de SP, existam trabalhos dos osgemeos", seja em periferia, bairros nobres ou locais do centro., assim como de outros artistas.
Ou seja, ao ar livre se movimentando junto com o povo e a cidade, oke é de caracteristica do grafite ou pixação que tem em grande escâla por aqui.
Até +

Anônimo disse...

irado

Anônimo disse...

Eu de novo, anonima, não anonima, mas sim Raquel. Muito legal esses caras, pena q pra mim não dá pra ir nessa exposição. Quem sabe um dia em SP, mesmo tendo varias coisas deles por lá. Os caras são de mais.
Raquel...