quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Floresta com Araucária

A floresta ombrófila mista (ou floresta com araucária) é um dos mais exuberantes ecossistemas do Brasil. Ela abriga uma das poucas coníferas de ocorrência subtropical no hemisfério Sul do continente americano: a araucária brasileira, conhecida como pinheiro-brasileiro ou pinheiro-do-Paraná (Araucaria angustifolia).

A floresta com araucária não abriga apenas a sua espécie típica, mas muitas outras que formam comunidades interativas e diferenciadas em florística, estrutura e organização ecológica. Existe muita riqueza na floresta com araucária, seja nos seus componentes arbóreos, no sub-dossel ou nas copas que formam dosséis irregulares. Ali a biodiversidade atinge níveis elevados, apesar de sua aparente simplicidade estrutural.

É um dos ecossistemas mais ameaçados atualmente.









Pôr-do-sol junto às araucárias (PR)
Parque Nacional das Araucárias (SC)

"Floresta" de Xaxim Gigante (no Parque Nacional)

Anfíbios

A classe amphibia inclui a ordem Anura (sapos, rãs e pererecas), Urodela (salamandras) e Gymnophiona (cecílias).

No mundo, há cerca de 6000 espécies de anfíbios conhecidos.

Segundo lista publicada pela Sociedade Brasileira de Herpetologia (2007), há registro para o Brasil, até o momento, da ocorrência de 817 espécies de anfíbios (789 Anuros, 1 Urodelo e 27 Gymnophionas).

Desde a ultima versão da Lista de Anfíbios do Brasil (junho de 2005) foram descritas 35 novas espécies. Diante dos números atuais, o Brasil ocupa a primeira colocação na relação de países com maior riqueza de espécies de anfíbios, seguido por Colômbia e Equador.

Alguns anuros encontrados na Floresta com Araucária

Phyllomedusa tetraploidea
A simpatia em "pessoa"









Hyalibatrachium uranoscopum

Hypsiboas faber
Maior "perereca" com distribuição no sul do Brasil

Dendropsophus minutus e Dendropsophus sanborni



Physalaemus cuvieri
(rã-foi-gol-não-foi)
Aplastodiscus perviridis










Sphaenorhryncus surdus
Hypsiboas leptolineatus









Hypsiboas bischoffi
Leptodactylus ocellatus

Répteis

Até o momento (setembro de 2007), foram reconhecidas 684 espécies de répteis naturalmente ocorrentes e se reproduzindo no Brasil: 36 quelônios (tartarugas), 6 jacarés, 228 lagartos, 61 anfisbênias (cobra-cega)e 353 serpentes.

Entre as serpentes, 299 espécies (84,7 %) são pouco ou nada perigosas, e 54 espécies (15,3 %) são perigosas (peçonhentas), das quais 27 são cobras-corais (Elapidae) e outras 27 são víboras com fosseta (Viperidae) das quais incluem-se as jararacas (gênero Bothrops).
Diante dos números atuais, o Brasil deve ocupar a terceira colocação na relação de países com maior riqueza de espécies de répteis, atrás da Austrália e do México, mas suplantando Índia, Indonésia, Colômbia, China e Peru.

Alguns répteis encontrados na Floresta com Araucária

Teiú juvenil (Tupinambis teguixin)

Maior lagarto brasileiro, pode chegar a 2m de comprimento.











Jararaca (Bothrops jararaca)

Cotiara (Bothrops cotiara)
serpente ameaçada de extinção
Fotos: Anne Elise Previdi
Foto "Floresta de Xaxim Gigante": Janael Ricetti

6 comentários:

Pitango disse...

Uau, adorei a foto no xaxim! Linda! Só dispensaria interagir com cobras e lagartos, haha. Acho que eu não seria muito simpático com eles e nem eles comigo! =)

gabriel disse...

anne!! eu quero um sapinho daquele verde!
quando volar la traz um pra mim!

beijo!

Wande disse...

Que lindinhos! E ver tudo isso de perto deve ser mágico!
Parabés, vc está num caminho muito interessante. Obrigada por compartilhar. bj

Janael disse...

Oi moça, eu seu quem tirou aquela foto da Anne olhando pro xaxim gigante!!!
FUI EU!! hehehe!
um bjão!!!

Michele disse...

Oi Anne,
Vc não me conhece ms eu estava no Colegio Maria Aguiar na distribuição de aulas para Meio Ambiente, fiquei por uma chamada apenas, com isso gostaria que vc ficasse de olho se surgir uma vaga.
Obrigada .
Se precisar de algo entre em contato:mconsultoriambiental@gmail.com ou michele159@bol.com.br

Michele disse...
Este comentário foi removido pelo autor.